B R A S I L
 
     
   
  Estado:
São Paulo
   
 
Selecione outro estado:
   
São José do Rio Preto
 
 
Quem faz História no Brasil
   
  Digite o nome da pessoa que deseja localizar:    
 
Brasil
 
 
  Ver em: Edinho Araújo  
 
Edemir Pinto
 
Economista, ingressou na Bolsa de Mercadorias&Futuros (BM&F) em janeiro de 1986, diretor-geral desde abril de 1999, diretor-geral da Bolsa Brasileira de Mercadorias em outubro de 2002; eleito presidente da BM&F/Bovespa em 20/5/2008; membro nato do Conselho de Administração da BM&F até setembro de 2007; em julho de 1987 foi nomeado diretor da Clearing da BM&F, responsável pelos departamentos de Administração de Risco, Liquidação, Cadastro, Garantias, Custódia e Controladoria.
 
Formado pela Faculdade de Ciências Econômicas e de Administração de Empresas de São José do Rio Preto em 1977.
 
Nascimento:
› São José do Rio Preto
SP
Data nasc.: 04/06/1953
 
Edinho Araújo
 
Advogado, escritor e professor. Edson Edinho Coelho Araújo, foi ministro da Secretaria Nacional dos Portos, de 1 de janeiro de 2015 a 2 de outubro de 2015, no governo da presidente Dilma Rousseff; é deputado federal reeleito em 5 de outubro de 2014, pelo PMDB, com 112.780 votos para a Legislatura 2015/2018; e eleito em 3 de outubro de 2010, pelo PMDB, com 100.195 votos para a Legislatura 2011/2014; foi presidente da Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo (Codasp) de 2008 a 2010; prefeito rio-pretense de 2001 a 2008, primeiro prefeito reeleito de São José do Rio Preto [eleito em 2000 para o mandato de 2001/2004, em dois turnos, com 100.861 votos, em 29 de outubro de 2000, vencendo Manoel Antunes, que obteve 86.623 votos. Reeleito em 2004, em segundo turno, com 104.709 votos contra 101.441 de Manoel Antunes, nos dois pleitos filiado ao PPS. No primeiro mandato teve Maureen de Almeida Leão Cury, do PT, como vice-prefeita e no segundo mandato, Eliana Fátima Segrégio Storino, do PMDB]; presidente de honra da Associação dos Municípios da Araraquarense (AMA) de 2001 a 2008. Deputado federal de 1995 a 1998 e de 1999 a 2000, renunciou ao mandato em 31 de dezembro de 2000 para assumir a Prefeitura de São José do Rio Preto; na Câmara dos Deputados presidiu a Comissão de Viação e Transportes em 1998, foi membro da Comissão de Constituição, Justiça e Redação e da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; autor do projeto nº 2.695/97 que resultou na lei eleitoral nº 9.504, de 30 de setembro de 1997, ainda em vigor. Deputado estadual de 1991 a 1994 e de 1987 a 1990; suplente de deputado estadual para a legislatura 1983/1987 [assumiu de 31 de março 1983 a 27 de fevereiro de 1986 e tornou-se titular a partir de 2 de outubro de 1986]; 1º vice-presidente da Assembléia Legislativa de 1987 a 1988, presidente da Comissão de Constituição e Justiça por três biênios, de 1989 a 1994, presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito instalada para apurar o “massacre do Carandiru" em 1992 e autor da lei complementar nº 651, de 31 de julho de 1990, que possibilitou a criação de novos municípios no Estado de SP. Constituinte estadual em 1989, vice-líder do governo e relator do capítulo Municípios e Regiões Administrativas. Prefeito de Santa Fé do Sul de 1977 a 1982 e vice-presidente da Associação dos Municípios do Oeste Paulista (Amop) de 1977 a 1981. Presidente e fundador do Instituto Paulista de Estudos de Base (Ipeb) desde 1988; autor da lei estadual nº 8.316, de 5 de junho de 1993, que criou a Estação Ecológica do Noroeste Paulista de SJRio Preto e Mirassol. Professor na Faculdade de Educação Física da Alta Araraquarense, Santa Fé do Sul, de 1974 a 1975, e no Ginásio Estadual de Santa Fé do Sul de 1972 a 1975. Toda a sua trajetória política, como deputado federal e estadual, esteve fortemente vinculada às lutas junto aos governos da União e do Estado pela construção da ponte rodoferroviária sobre o rio Paraná, ligando Rubinéia, SP, a Aparecida do Taboado, MS, e pelo desenvolvimento regional. A ponte foi inaugurada em 29 de maio de 1998 pelo presidente Fernando Henrique Cardoso. Em função de sua luta pelo prolongamento dos trilhos da ferrovia São Paulo/Mato Grosso e pelo desenvolvimento do Centro-Oeste, recebeu diversas homenagens, como o título de cidadão honorário de Cuiabá. Membro do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de São José do Rio Preto (IHGG). Autor dos livros "O Sonho Realizado" e "Novo Município Novo", lançados em 1998. Lançou em 2010 sua biografia, "Edinho Araújo - 38 Anos de Estrada", pela THS Editora, de autoria do jornalista Mário Soler.
 
Formado em Direito pela Faculdade Laudo Camargo, Ribeirão Preto, em 1972, em Letras pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto em 1972; especialização em Direito Público pela Fadir (atual Unirp) em 1976, e em Sociologia e Política pela PUC de São Paulo em 1987; cursou a Escola de Governo em São Paulo em 1992 e o Ifedec de Caracas, Venezuela, em 1987.
 
 
     
Nascimento:
› Santa Fé do Sul
SP
Data nasc.: 30/07/1949
 
Eleuses Vieira de Paiva
 
Médico, deputado federal pelo Democratas (DEM-SP) de 2009 a abril de 2010; candidato a deputado federal em 2010, pelo DEM, obteve 107.464 votos e ficou na suplência; presidente da Associação Médica Brasileira (AMB) de 1999 a 2005, da Associação Paulista de Medicina (APM) de 1995 a 1999 (primeiro médico do Interior a ocupar a presidência da instituição) e da Sociedade de Medicina e Cirurgia de São José do Rio Preto, SP, de 1994 a 1995; diretor do Departamento de Medicina Nuclear da APM de 1989 a 1990, vice-presidente da Comissão de Ética Profissional do Colégio Brasileiro de Radiologia de 1990 a 1991; presidente da Comissão de Honorários Profissionais da Sociedade Brasileira de Biologia e Medicina Nuclear de 1991 a 1992, secretário de 1989 a 1990; chefe do serviço de Medicina Nuclear e Densitometria do Hospital de Base. Professor da Famerp e professor associado da Universidade de Campinas (Unicamp).
 
Formado pela Faculdade de Medicina de Itajubá, MG, em 1978, com especialização em Medicina Interna no Hospital das Clínicas, São Paulo, em 1979, e Medicina Nuclear pela USP em 1980.
 
Nascimento:
› Santos
SP
Data nasc.: 13/06/1953
 
Emílio Garrastazu Médici
 
Militar, general de exército, foi o 28º presidente do Brasil, governou o País de 30 de outubro de 1969 e 15 de março de 1974, durante o regime militar do país(seu governo ficou conhecido como Os Anos de Chumbo, pelo recrudescimento da repressão aos militantes de esquerda). Este envolvido nas questões políticas brasileiras desde o início de sua carreira militar, como na Revolução de 1930, da qual foi a favor; depois foi contra a posse de João Goulart em 1961. Em abril de 1964, por ocasião do movimento militar de 1964, comandava a Academia Militar de Agulhas Negras; foi adido militar nos Estados Unidos e, em 1967, sucedeu Golbery do Couto e Silva na chefia do Serviço Nacional de Informações (SNI), o órgão de inteligência do regime militar; apoiou o Ato Institucional Número Cinco (AI-5) em 1968. Em 1969, foi nomeado comandante do III Exército, com sede em Porto Alegre. Convidado a assumir a Presidência da República, Médici exigiu que, para sua posse, o Congresso Nacional fosse reaberto e, em 25 de outubro de 1969 ele foi eleito presidente por uma sessão conjunta do Congresso Nacional, obtendo 293 votos, com 75 abstenções. Ele tomou prometendo restabelecer a democracia até o final de sua gestão; combateu as guerrilhas urbana e rural; foi acusado de promover a tortura, de matar e desaparecer com os guerrilheiros esquerdistas. O seu governo ficou marcado também por excepcional crescimento econômico, que ficou conhecido como o Milagre Brasileiro. Houve um grande crescimento da classe baixa e da classe média. Cresceu muito o consumo de bens duráveis e a produção de automóveis, tornando-se comuns, nas residências, o televisor e a geladeira. Em 1972, passou a funcionar a televisão a cores no Brasil. Por causa do Milagre Brasileiro, foram colocados em andamento os projetos desenvolvimentistas como o Plano de Integração Nacional (PIN), que permitiu a construção das rodovias Santarém-Cuiabá, a Perimetral Norte, a Transamazônica e a Ponte Rio-Niterói, a construídas de milhares de casas populares através do BNH e a construção da Usina Hidrelétrica de Itaipu Binacional ( a hidrelétrica de maior potência instalada do mundo) e a promoção de grandes incentivos fiscais à indústria e à agricultura.
 
Estudou no Colégio Militar de Porto Alegre e formou-se oficial na Escola Militar de Realengo, no Rio de Janeiro, em 1927.
 
 
     
Nascimento:
› Bagé
RS
Data nasc.: 04/12/1905
Falecimento:
Rio de Janeiro
RJ
Data falec.: 09/10/1985
 
Ernesto Geisel
 
Ernesto Beckmann Geisel, militar brasileiro, foi o 29º presidente do Brasil, governou o País de 15 de março de 1974 a 15 de março de 1979. Ingressou na carreira política ao ser nomeado chefe da Casa Militar do governo do presidente Castelo Branco em 1964. Integrou o grupo de militares castelistas que combateu a candidatura do marechal Costa e Silva à presidência da República. Castelo promoveu-o a general de exército em 1966 e nomeou-o ministro do Superior Tribunal Militar em 1967. No governo de Emílio Médici, foi nomeado presidente da Petrobras e em 1974, foi indicado pelo presidente Médici candidato a presidente da República pela Aliança Renovadora Nacional (ARENA), tendo como vice Adalberto Pereira dos Santos, vencendo por 400 votos (84,04%) a 76 a chapa oposicionista de Ulysses Guimarães e Barbosa Lima Sobrinho do MDB. Nas eleições presidenciais de 1985, apoiou o candidato oposicionista vitorioso Tancredo Neves. Assumiu a Presidência do Brasil em 15 de março de 1974 . Seu governo foi marcado pelo início de uma abertura política e amenização do rigor da ditadura militar brasileira, apesar de fortes oposições de políticos e militares da chamados de l Linha-dura. Durante sua administração houve a divisão de Mato Grosso e a criação do Mato Grosso do Sul, a realização de acordos nucleares com a Alemanha Ocidental, início do processo de redemocratização do país, com a extinção do AI-5 e o aceleramento da construção da Usina Hidrelétrica de Itaipu. Foi presidente da Norquisa, empresa ligada ao setor petroquímico. Em 1º de junho de 1977 foi agraciado com o Grande-Colar da Ordem Militar de Santiago da Espada e em 13 de fevereiro de 1979 foi agraciado com o Grande-Colar da Ordem do Infante D. Henrique. Estudou no Colégio Martinho Lutero, de Estrela (RS)e no Colégio Militar de Porto Alegre, formando-se oficial na Escola Militar de Realengo, no Rio de Janeiro.
 
 
     
Nascimento:
› Bento Gonçalves
RS
Data nasc.: 03/08/1907
Falecimento:
Rio de Janeiro
RJ
Data falec.: 12/06/1996
 
Estácio de Sá
 
Militar, era sobrinho de Mem de Sá e chegou a Salvador, na Bahia, em 1563 com a missão de expulsar definitivamente os franceses remanescentes na Baía de Guanabara e ali fundar uma cidade. Enfrentando enormes dificuldades, somente em 1565, com reforços obtidos na então Capitania de São Vicente e com o auxílio dos jesuítas, como Manuel da Nóbrega e José de Anchieta, ele conseguiu reunir uma força de ataque para cumprir a sua missão. Em 1º de março de 1565 fundou a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, em terreno plano entre o morro Cara de Cão e o morro do Pão de Açúcar, sua base de operações. O objetivo da fundação foi dar início à expulsão dos franceses que já estavam na área há dez anos. Combateu os franceses e seus aliados indígenas por mais dois anos. Em 20 de janeiro de 1567, com a chegada da esquadra comandada por Cristóvão de Barros com reforços comandados pessoalmente por seu tio Mem de Sá (indígenas mobilizados pelos padres jesuítas José de Anchieta e Manuel da Nóbrega), lançou-se ao ataque, travando os combates de Uruçu-mirim (atual praia do Flamengo) e Paranapuã (atual Ilha do Governador). Foi gravemente ferido por uma Lança indígena que lhe vazou um olho durante a Batalha de Uruçu-mirim, em 20 de janeiro e morreu um mês depois, por septicemia decorrente do ferimento. Seu corpo está sepultado na Igreja de São Sebastião dos Frades Capuchinhos, no Rio de Janeiro,
 
Nascimento:
Santarém
Portugal
Data nasc.: ?/?/1520
Falecimento:
Rio de Janeiro
RJ
Data falec.: 20/02/1567
 
Ettore Ximenes
 
Escultor italiano especializado em obras de inspiração religiosa e mitológica; autor de inúmeras obras na Itália, Estados Unidos, Argentina e Brasil, entre elas o busto do governador paulista Carlos de Campos, esculpido em bronze, que integra o acervo do Palácio dos Bandeirantes. Entre 1919 e 1926 residiu no Cambuci, em São Paulo, onde trabalhou com o arquiteto Manfredo Manfredi no "Monumento à Independência". Ele teve vários discípulos brasileiros, como o escultor Luís Morrone.
 
Nascimento:
Palermo
Itália
Data nasc.: 11/04/1855
Falecimento:
Roma
Itália
Data falec.: 20/12/1926
 
Página 1 de 1
Primeira | Anterior | 1 | Próxima | Última 
   
 
©2001/2010 » Todos os Direitos Reservados - www.quemfazhistoria.com.br
Todo material publicado neste sitepertence a www.quemfazhistoria.com.br ou é utilizado com a expressa permissão de seus autores
Site desenvolvido por
Personal Comp